Chega Mais Beach: a história do nativo que transformou o turismo de Canoa Quebrada/CE

1 comentários
Por Rosana Romão -  Via Ceará Viaja 
Fotos: Pedro Martins


Quem conhece Canoa Quebrada, no Ceará, sabe da importância da Chega Mais Beach, uma barraca que começou pequena, mas atualmente é o maior empreendimento do ramo na região. Luís Nogueira Costa é o responsável por este feito, mas poucos conhecem o percurso que ele fez para chegar até onde está. São 22 anos à frente do negócio, que cresceu e tem gerado frutos.

Assim como outros jovens que moram no interior do Ceará, Luís veio à Fortaleza buscar uma oportunidade de trabalho. Morou e trabalhou na capital cearenses como entregador de remédio. Mas percebeu que poderia voltar para Aracati, ficar perto da família e tentar montar o próprio negócio.

“Surgiu a oportunidade de montar uma barraca com estrutura pequena. O nosso diferencial era o serviço. Sempre me preocupei com essa questão da qualidade”, destaca. Segundo o empresário, um dos maiores segredos para quem trabalha no ramo de alimentação e bebida é o atendimento. E isto foi o que diferenciou a Chega Mais Beach das outras barracas da região.


Início

Com apenas três funcionários e uma estrutura pequena, Luís conseguia tocar o negócio. A equipe era formada por dois cozinheiros, uma pessoa responsável pela limpeza e ele pelo atendimento. A passos lentos a barraca foi ficando conhecida e melhorando em qualidade e limpeza.

A chegada do Sebrae até o empreendimento melhorou, e muito, o lugar. “Recebi um cara do Sebrae que era do Selo de Qualidade. Eu nem sabia o que era. Ele vem dar toda uma orientação de como se deve trabalhar, amplia a sua visão. Foi muito importante a ajuda deles”, reconhece.

Com apenas 18 anos de idade ele investiu na barraca mesmo sem ter conhecimento do mundo dos negócios, e o Sebrae o ajudou a clarear as ideias. “Eu era menino véi, não tinha experiência, formação nenhuma. Nunca fiz faculdade. Foi na base da garra, da boa vontade”, relata.

Mudanças

A localização da barraca também foi um problema. Em Canoa Quebrada, as barracas se estabelecem na praia, próximo ao mar e às falésias. Logo, o Ministério Público do Ceará entrou na justiça para requerer a interdição de, pelo menos, 18 barracas, entre elas a Chega Mais.

O MPCE alegou que as barracas próximas às falésias sujeitava os frequentadores e trabalhadores a graves riscos, incluindo o de morte. Além de sofrer o processo de erosão/assoreamento pluvial. Desde então, foi um longo processo na justiça até a determinação final. Foi aí que Luís Nogueira iniciou o processo para mudar sua barraca.

“Não vou dizer que eu saí porque quis, na verdade nós fomos retirados à força. Mas hoje eu posso dizer que foi algo bom. Consigo trabalhar sem me preocupar com a maré, que já levou a barraca duas vezes. Assim como faz com meus colegas. Tinha gente que saía sem pagar, era um sufoco. Hoje nós não temos esse problema, eu nem sei quando a maré tá cheia e nem quando tá seca. Não tenho essa preocupação”, explica.

Luís Nogueira apresenta seu projeto de sustentabilidade a universitários.
Chega Mais Beach

Parte da ampliação da barraca também teve o apoio do Sebrae. O complexo ficou pronto com 1 ano e 6 meses. A barraca ficou 1 semana sem funcionar durante a transição, até se estabelecer na região mais afastada da praia. O novo endereço já possui 1 ano e quatro meses, com melhoria na estrutura e ampliação na capacidade. “Lá a gente conseguia receber 300 a 400 pessoas no máximo, se a maré deixasse. Aqui a gente consegue receber 1,5 mil pessoas, triplicou”, acrescenta.

A mudança, foi um risco forçado, pois onde está localizada a Chega Mais Beach antes era apenas uma faixa de areia que não era frequentada. Atualmente, ainda existem barracas na região das falésias, mas Luís acredita que é questão de tempo para que todos os empresários se adaptem. Devido a distância e até falta de conhecimento de alguns, a barraca disponibiliza um bugue para buscar e deixar os clientes. O serviço pode ser solicitado gratuitamente na pousada. O empreendimento funciona diariamente de 8h30 às 17h30, com horário noturno em casos de eventos privados ou festas.

O novo endereço também trouxe uma novidade para a Chega Mais. Com espaço reservado para eventos pequenos como festas de formatura, aniversários, confraternizações e casamentos, o estabelecimento passou a receber grandes eventos com presença de bandas como Vila do Samba, Chicabana, É o Tchan, Jorge e Matheus, Durval Lelys, Nando Reis, Dorgival Dantas e Samira Show.

“O projeto não foi pensado para grandes eventos, mas depois da primeira festa, com o Vila do Samba, que colocamos 1 mil pessoas, tivemos uma repercussão muito boa. Daí a gente fez outros para testar. Nunca imaginei que a Chega Mais se tornasse uma casa de shows, como é hoje. E Canoa tem ganhado muito com isso”, esclarece Luís Nogueira.

A repercussão é positiva para Canoa Quebrada porque para divulgar o evento é necessário também divulgar o destino. Então, a mídia via  rádio, jornal, televisão e mídias sociais é positiva também para outros empresários do turismo. “A rede hoteleira ganha, restaurante, bugue, todo mundo ganha. Tem bugueiro que ganha 500 reais numa noite só trazendo gente do hotel pra cá. Mexe muito com a economia do lugar”, complementa.


Sustentabilidade

A Chega Mais Beach também possui uma preocupação com a sustentabilidade. Produz a própria energia devido à placas solares e possui um sistema com 80% do reaproveitamento de água. A água das chuvas é levada para um reservatório. Já 70% da madeira utilizada em sua estrutura é de reflorestamento, com certificação. Os banheiros possuem secador para mãos, ao invés de papel. A barraca conta também com a sombra de 87 coqueiros implantados.

“O turismo é feito de meio ambiente. Temos a preocupação com a área da sustentabilidade para preservar o máximo possível. Não dá para preservar muito se você constrói, mas você pode dar uma contrapartida”, destaca.

O tratamento de esgoto utilizado também é um diferencial. A tecnologia utilizada é a Bacia de Evapotranspiração (BET), também conhecida como “fossa de bananeiras”. Ela não utiliza produto químico e não gera nenhum efluente. Também evita a poluição do solo, das águas superficiais e do lençol freático. Os resíduos humanos se transformam em nutrientes para plantas e a água só sai por evaporação, portanto completamente limpa. “Para o empresário, inicialmente, é um custo caro, mas com pouco tempo se paga”, aconselha.

Detalhes

Há duas piscinas no complexo, sendo uma delas exclusiva para crianças. O valor para utilizar o serviço é de R$ 10. O almoço pode ser à la carte, ou self-service, ao custo de R$ 60 por quilo. Entretanto há opções diversificadas de saladas, peixes e carnes. Para os pequeno, há um fraldário e um pequeno playground. Outros serviços como massagem e passeios de bugue também são ofertados no entorno da barraca.

O engajamento de Luís Nogueira com o município de Aracati e com a praia de Canoa Quebrada é bastante ativo. O empresário está sempre disposto a buscar melhorias para o turismo local. Já foi até sondado sobre um possível ingresso na política, mas ele afirma não ter essa ambição. De fala simples e conversa acolhedora, ele acredita que consegue muito mais melhoria para Canoa com seu trabalho na Chega Mais Beach. E assim, o nativo continua transformando o turismo de Canoa Quebrada.

Serviço

Chega Mais Beach
Avenida da Integração, 860 – Praia de Canoa Quebrada
Contato: (88) 3421-7101 | (88) 9 9916-0023



Compartilhe:

Um comentário:

  1. Show...tive o prazer de conhecer e admiro o profissional que és.

    ResponderExcluir