Quanto a VAQUEJADA (aos meus irmãos vaqueiros nordestinos)

0 comentários
Começo meu texto dizendo assim: Ou proíbe a venda dos luxuosos sapatos e bolsas (de couro) dos ministros e ministras que votaram a favor da inconstitucionalidade da vaquejada, ou não proíbe nada. País opressor e elitista da mulesta!

Não. Eu nunca peguei no rabo de um boi. Subi em um cavalo por uma única vez e foi me cagando de medo. Não sou vaqueiro, apesar de ter inveja da coragem de cada sertanejo e sertaneja que vivem dessa profissão. Mas agora, agora eu pergunto...

Como ficará o locutor de voz brejeira? 
Está proibido do vaqueiro se apaixonar pela filha do fazendeiro? 
E a filha do fazendeiro não pode mais chorar ao ver que sua paixão "botou o boi da disputa" e ganhou a vaquejada? 
De que viverá o boiadeiro?
E a casa da ração, será demolida? 
Já podem vender os caminhões? 
Fechar a serralheria do caba que fez a gaiola? 
Chico Couro Velho do cortume, Xixico de Zequinha da Casa dos Arreios, não podem mais tirar seu sustento? 
O veterinário interromperá o tratamento do cavalo de esteira e do cavalo puxador?
E Seu Zé Sapateiro que faz botas encomendadas?
Eu posso quebrar meus CD's de Alcimar Monteiro?
E o rapaz que me vendeu um Pen Drive cheio de toada de vaquejada? 
Benoni Conrado errou ao ter escrito "20 anos de vaqueiro"? 
Valdir Teles não pode mais cantar "Caçula do Patrão"? 
Kara Veia será censurado? 
Luiz Gonzaga terá os discos recolhidos do mercado? 
O caba do espetinho? A menina que vende boné? Vocês vão para onde?

E a festa de Barretos? E o rodeio? E o boi Garantido? Vão proibir? E criar um cachorrinho caro no 17º andar de um condomínio burgês não seria maus tratos?

Algum ministro ou defensor dessa tese já viveu por um mês no SERTÃO NORDESTINO para saber o quanto é duro conviver com a seca,com a escassez de recurso, para os criadores e para os vaqueiros? Venham! Venham olhar o açude seco, a ramagem murcha, a plantação morta, as carcaças de animais pelas estradas, o prejuízo de quem só tinha vinte cabeças de gado e vivia do leite, do queijo... Não, vocês não vêm! Venham ser vaqueiro por um dia, nordestino por um dia, que vocês sabem quem sofre mais maus tratos, quem é mais selvagem, mas não, vocês não vêm!

Quem julgou, não conhece, quem acusa, não conhece. Que se tenha argumentos para qualquer sentença.

O nordeste já um flagelo e querem nos extinguir de vez, mas enquanto houver defensores de nossa região, ainda existirá esperança.

Nem tudo que é legal é justo.

Saudações nordestinas, valeu o boi!

Por Manoel Cavalcante: Bisneto de Domingos Alves (Vaqueiro dos Oliveira) e Antônio Elias Feitosa (Ex-vereador de Pau dos Ferros, que entrava na Câmara Municipal de botas, mas sem tirar as esporas)


Compartilhe:

Postar um comentário