Perfil da Semana: Poeta e Odontólogo Manoel Cavalcante

0 comentários
Estamos de volta com o quadro Perfil da Semana e o nosso entrevistado é Manoel Cavalcante, odontólogo e poeta. 



Confira o nosso bate-papo:

Descreva-se: Eu sou Manoel Cavalcante, filho de Edmilson Moto-táxi e Estelita de Mineu, nasci em Pau dos Ferros, me criei na rua da padaria de seu "Mundin", tenho 26 anos, me formei em odontologia pela UFRN, escrevo poesias, tenho dois livros lançados, quase três, sai um agora em agosto e a gosto de todos. Tenho 22 títulos de cordéis publicados, mais de 70 premiações em concursos literários no Brasil e no exterior, sou membro da Academia Norte-Rio-Grandense de Literatura de Cordel e da Academia de Trovas do RN. Tenho amigos em todo canto, uma família grande e o se um caba mexer comigo ele prepare os "pinhaços", porque eu sou mole, mas tem gente doido por mim que é meio sem paciência. Pronto, é quase isso.

Nome: Manoel Cavalcante de Souza Castro

Idade: 26 anos

Cidade:  Pau dos Ferros

Profissão: Odontólogo

Redes Sociais:

Instagram @conversa_com_verso 

Twitter – Tenho tempo não, homi.
SnapChat – Piorou.

Nas horas vagas: Nunca fico de bunda pra cima, sempre procuro o que fazer.

Uma lembrança: Minha infância. Ir ao perímetro (sítio) para ver meus avós.

Uma qualidade: Baixar a cabeça para olhar meus defeitos, mas na realidade isso é uma obrigação.

Um defeito: Ser eu sendo muita gente, mas isso pode ser uma das mais belas qualidades de alguém, pois envolve algo bonito e digno de quem ama, a renúncia.

Superstição: Já tive, mas não tenho mais.

Medo de: Ganância de poder.

Hobby: Mãe sempre comprou hobby pra ela, as pessoas da geração dela usam bastante, mas falando sério agora, escrever, jogar bola, ler e encontrar os amigos são as coisas que mais gosto de fazer fora de minhas obrigações, que também faço com amor.

Trilha Sonora: Conselho ao filho adulto.  

Inspiração: Meu pai, minha mãe e todo mundo que tem vontade de prestar.

Um momento histórico e marcante: Um gol que fiz na final de Jern’s de 2005 (EIC x CCE), carreguei a bola, corri, corri e bati no contra-pé do goleiro, caí desequilibrado, quando levantei a vista, na minha frente, estavam comemorando na arquibancada: Meu pai, Raimundo Círio e Cicinho, três mestres da minha vida. Aquela cena foi e é uma metáfora pesada da minha vida. Minha formatura e colação de grau, também foram inesquecíveis.

Assunto que te interessa: Espiritualidade, poesia, saúde pública, cultura popular, arte, livros.

Completamente desnecessário: Entrar em atrito com alguém, criar inimizades, a vida acaba amanhã e devemos ter tempo para fazer coisas boas, as ruins já existem por si só. Portanto, amem seu próximo, perdoem e vivam na plenitude da vida.

Programa de final de semana: Viver. Com os amigos, os amores do peito. Mãe, pai, namorada, sobrinho, irmãs, primos e primas.

Não vivo sem: Poesia e fôlego (esse fôlego não é só oxigênio não).

Deus: Energia. Não cultuo o Deus institucionalizado e capitalizado pelas religiões. Acredito no Deus que fez o mundo, na energia maior do universo e não do Deus que o mundo fez.

Fama: Sei quem é não.

Família: Cheia de valores, de todos os ângulos, escola para a vida.

Amigos: Irmãos que a vida chega e diz: pegue, vale mais do que qualquer coisa.

Sonho: Ver um mundo com mais amor e com mais justiça social.

O que te faz feliz: Ver os outros felizes e em paz. Como diria o mestre Léo Batista: “Eu sou você, você é eu.

O que te deixa chateado: A maldade humana.

Um recado para Clístenes Carlos: Tire o boné, homi...!

Um recado para os leitores: Aprimorem seus espíritos e seus corações, façam de seus interiores, um templo de paz.

Fãs: De quem? Sou fã de quem tem vontade de prestar...

Uma frase: “Tem gente tão pobre que só tem dinheiro”.


Compartilhe:

Postar um comentário