Campus da Uern em Pau dos Ferros ganhará nova sede para a biblioteca

0 comentários
Prédio da biblioteca do Campus Pau dos Ferros
será concluído em 12 meses (Foto: Agecom)
Foi entregue na manhã de ontem, 9, na cidade de Pau dos Ferros, a Ordem de Serviço para dar início às obras da nova Biblioteca Pe. Sátiro Cavalcante Dantas, do Campus Avançado Maria Elisa de Albuquerque Maia (CAMEAN), da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (Uern), em uma solenidade que contou com a presença do Prefeito daquela cidade, Fabrício Torquato; do Pró-Reitor de Administração, Iata Anderson Fernandes; do Diretor do Campus, Prof. Gilton Sampaio; e o Vice-Reitor, Prof. Aldo Gondim Fernandes, que presidiu o evento.

O prédio da biblioteca do Campus Avançado de Pau dos Ferros, que será concluído daqui a 12 meses, prazo previsto no cronograma da construção, contará com dois pavimentos. No térreo serão construídas duas salas de estudo em grupo e duas salas de estudo individual e o salão principal do acervo bibliográfico. No pavimento superior, terá uma sala de estudo individual e uma em grupo, uma sala para o laboratório de informática, o setor administrativo da biblioteca, uma sala de multimeios e mais uma sala para o acervo.

A empresa ganhadora da licitação para a construção da biblioteca de Pau dos Ferros recebeu a Ordem de Serviço das mãos do Prof. Aldo Gondim e a partir desse gesto está autorizada a instalar o canteiro de obras naquele campus. A nova biblioteca foi orçada em R$ 1.311.498,65 que serão divididos em duas parcelas, sendo a primeira com recursos do Governo Federal (FINEP/CT-Infra) no valor de R$ 747.295,00 e a segunda como contrapartida do Governo do Estado do Rio Grande do Norte no valor de R$ 564.203,65.

Segundo o Prof. Aldo Gondim, essa obra tem uma história que remonta desde 2009, quando a Uern conseguiu a aprovação de dois projetos, um da sede da Faculdade de Ciências Naturais e Exatas (Fanat) e o da sede da Biblioteca do Campus Avançado de Pau dos Ferros, entretanto, a Instituição tinha que entrar com uma contrapartida, que na época ainda poderia ser através de prestações de serviços e antes da liberação dos recursos as normas foram alteradas e coube a Uern conseguir do Estado o restante do valor das construções. Essa complementação foi necessária também porque o valor inicial da obra já havia sido alterado. Aldo disse que todos os olhos da Uern estarão voltados para a fiscalização dessa obra.

Fonte: Agecom Uern


Compartilhe:

Postar um comentário